windmills by fy

10/01/2010

out & about

Filed under: Uncategorized — Fy @ 6:58 PM

 

 

 

…às vezes quero  escrever sobre uma coisa e  acabo … escrevendo sobre outra .  

Na verdade , eu , que não sei escrever nem sobre uma e nem outra ,

mas que adoro brincar disso, acabo me divertindo quando todas as peças se unem

e eu  q u a s e  compreendo este quebra-cabeça chamado imaginação.

 

 

Há dias quero fazer um post sobre Alice in Wonderland. – vou fazer.

Mas , ultimamente , tenho ligado alguns assuntos à uma outra  …  

das muitas genialidades aquarianas de Carroll….

 

 

Este diálogo abaixo retrata , ao menos pra mim ,

– mais do que “ muito mais ”   fielmente , uma série de debates ou conversas “famosas” entre nossos “brilhantes” políticos , … 

– entre os governos em geral , [ enfatizando a palhaçada do COP15 ] ,  

– entre os metidos a filósofos ,  – entre os  “ismos” : religiões e religiosos ;  e seus oponentes,

… etc e tals > que eu não me lembro agora ….

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 – … e cada vez mais …,  o estranho mundo criado por Carroll passa a ter coerência .

 

 

 

 

 

 

 

 

   …  Não sei o que você quer dizer com “glória” – Alice disse.

 

Humpty Dumpty sorriu com desdém.

 

 – É óbvio que não sabe… até que eu lhe diga.

Eu quis dizer: “Há um belo argumento infalível para você!”

 

– Mas “glória” não significa “um belo argumento infalível” – Alice objetou.

 

– Quando  eu  uso uma palavra ,   – Humpty Dumpty disse com certo desprezo –  

ela significa o que eu quiser que ela signifique … Nem mais nem menos .

 

– A questão é – disse Alice – se  você  pode  fazer as palavras significarem tantas coisas diferentes .

 

– A questão é – disse Humpty Dumpty – quem será o Chefe … E eis tudo .

 

Alice ficou pasmada demais para dizer qualquer coisa ;

. . . assim depois de um minuto Humpty Dumpty começou de novo :

 

– São geniosas algumas delas … Principalmente verbos ,

são os mais orgulhosos …   Com os adjetivos você pode fazer de tudo , mas não com os verbos …                                                           

 

No entanto  eu  posso lidar com todos eles ! Impenetrabilidade !  É o que  eu  digo !

 

– Pode me dizer, por favor – disse Alice – o que isso significa ?

 

– Agora você fala como uma criança razoável – disse Humpty Dumpty, parecendo mais contente .

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

( Alice não se aventurou a perguntar com o que ele lhes pagava ;

então vejam que não posso dizer a vocês . )

 

– Você parece muito esperto em explicar palavras , senhor – disse Alice .

 

 

 

 

 – …..  e assim … …  se explica   tudo  !!! !!! !!! …

ou nada , ou quase tudo

 

hoje em dia –  e há muito tempo 

.

 

 

 

 

…  –  o mais engraçado , é a expressão de admiração … apatetada  

dos que  “fingem” que entendem … os inúmeros e diversos  … Humpty Dumpties :

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mas , …. Carroll … é genial !  

eternamente genial

.

.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  – … e cada vez mais ,  o estranho mundo criado por Carroll … passa a ter coerência .

 

 

 

 

 

 Through the Looking-Glass [ and What Alice Found There]

by Fy

 

 

 

7 Comments »

  1. O Jaguadarte
    (Lewis Carroll)

    Era briluz.
    As lesmolisas touvas roldavam e reviam nos gramilvos.
    Estavam mimsicais as pintalouvas,
    E os momirratos davam grilvos.
    “Foge do Jaguadarte, o que não morre!
    Garra que agarra, bocarra que urra!
    Foge da ave Fefel, meu filho, e corre
    Do frumioso Babassura!”
    Ele arrancou sua espada vorpal e foi atras do inimigo do Homundo.
    Na árvore Tamtam ele afinal
    Parou, um dia, sonilundo.
    E enquanto estava em sussustada sesta,
    Chegou o Jaguadarte, olho de fogo,
    Sorrelfiflando atraves da floresta,
    E borbulia um riso louco!
    Um dois! Um, dois! Sua espada mavorta
    Vai-vem, vem-vai, para tras, para diante!
    Cabeca fere, corta e, fera morta,
    Ei-lo que volta galunfante.
    “Pois entao tu mataste o Jaguadarte!
    Vem aos meus braços, homenino meu!
    Oh dia fremular! Bravooh! Bravarte!”
    Ele se ria jubileu. Era briluz.
    As lesmolisas touvas
    Roldavam e relviam nos gramilvos.
    Estavam mimsicais as pintalouvas,
    E os momirratos davam grilvos.

    (Tradução do “Jabberwacky” por Augusto de Campos)

    Comment by Mob — 11/01/2010 @ 5:53 AM

    • Ah, eu gosto mesmo disso.

      Mob,

      me lembra sem falta de te mostrar o texto do Deleuse sobreas palavras. – sempre esqueço.

      Olha este diálogo, – fiquei até na dúvida entre este e o Humpty;

      mas…. também acho que – estive num ambiente assim:

      O fragmento é parte do terceiro capítulo: Uma corrida em comitê e uma história comprida, quando, às margens da lagoa de lágrimas, ela Alica – se encontra com um estranho grupo de animais, e todos se reúnem para ouvir o camudongo.
      A certa altura, o papagaio parece incomodado:

      “Arre!” soltou o Papagaio, com um arrepio.

      “Perdão! – “falou o Camudongo, fechando a cara, mas muito polido: – “Disse alguma coisa?”

      “Eu não!” o Papagaio se apressou em responder.

      – “Pensei que tinha”, disse o Camudongo. “Continuando: – ‘Edwin e Morcar, condes da Mércia e da Nortúmbria, proclamaram seu apoio a ele e até Stigand, o patriótico arcebispo de Canterbury, achando isso oportuno…'”

      “Achando o quê?” indagou o Pato.

      – “Achando ‘isso’ “”” , respondeu o Camudongo, bastante irritado. – “Suponho que saiba o que ‘isso’ significa.”

      “Sei muito bem o que ‘isso’ significa quando eu acho uma coisa”, disse o Pato. “Em geral é uma rã ou uma minhoca. A questão é: o que foi que o arcebispo achou?”

      Sem tomar conhecimento da pergunta, o Camudongo … … se apressou em continuar: – “achando isso oportuno, foi com Edgar Atheling ao encontro de Guilherme e lhe ofereceu a coroa”. (Carrol, 2002, p.28)10

      – that’s the way it is.

      Bj

      Comment by Fy — 11/01/2010 @ 7:42 AM

      • aiaiai > 3° capítulo de Alice in Wonderland.

        Bj

        Comment by Fy — 11/01/2010 @ 7:45 AM

      • huauhauhauhhua
        “Arre!” soltou o Papagaio

        Comment by Mob — 11/01/2010 @ 11:56 AM

  2. > Mas , …. Carroll … é genial ! eternamente genial

    Ele é genial porque ele cria este diálogo fantástico e abre um leque de mil interpretações, uma mais fantástica que a outra. São as palavras que regem o cosmos? Se são, o que seria de um cosmos de palavras assalariadas?

    bjo

    Comment by Mob — 11/01/2010 @ 11:52 AM

    • huauhauhauhhua
      “Arre!” soltou o Papagaio > Mob

      Bjs

      Comment by Fy — 12/01/2010 @ 4:06 AM

  3. Japan

    I’d must test with you here. Which isn’t something I often do! I get pleasure from studying a put up that will make people think. Additionally, thanks for permitting me to comment!

    Trackback by Japan — 07/06/2014 @ 10:06 AM


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: