windmills by fy

12/01/2010

a song to the only one

Filed under: Uncategorized — Fy @ 3:00 AM

 

When a woman sings her song of love:

You are my Midday Moon

and I,

 your Midnight Sun

  

  

  

  

  

  

 

 

 

 

 

Wolfen  One ,

You  are  my  Midday  Moon  and  I , your  Midnight  Sun-

Wolfen  One ,

Our journey?s at an end but life has just begun-
 

 

When  first  we  met , I  thought

That  what  I  felt  could  not  be  true-

But  through  the  sharing  of  our  hearts

There  now  is  One  where  there  was  two –

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Left to right,
the meeting of the darkened day and dawning night-
Drum to tune,
the joining of the shining sun and silver moon-

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

I knew the risk I took

when down beside you I had laid,

And lo, the breath of two new lives

was well worth the price I paid –

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Wolfen    one ,
come  dance  with  me  and  gaze  back  at  which  we  have  done  –

Wolfen   one ,
we ? ve  sown  the  threads  by  which  the  future  shall  be  spun  –

Wolfen   one ,
You are my midday moon and I , your midnight sun-

Wolfen one –

 

 

 

 

 

 

 

 

by Fy

 

Musica :         Wolfen One  by Heather Alexander

Gravuras :   William Whitaker

Gravura Índia :  Lee Bloge

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

3 Comments »

  1. Muito bonito mesmo, Fy.

    Este Whitacker é mesmo ótimo!

    A musica faz pensar.
    É,era legal mesmo qdo O Amor podia ser cantado e sentido desta forma.Eu vou te dizer uma coisa que é uma opinião bem pessoal,acho que agente canta o Amor como sempre cantou,mas sentir ficou mais difícel e raro.Mesmo que as pessoas sintam um tesão enorme por sentir,o lance do amor ficou meio que oportuno ou não oportuno.Conveniente ou não conveniente.Não é mais procurado como aquilo que faz com que qualquer coisa se torne conveniente e oportuna.
    Mas quem sabe?
    Olha estas duas que legais:são Cheyennes se não me engano,e também são canções que não se canta muitas vezes,

    How, then, can I tell you of my love?
    Strong as the eagle,
    soft as the dove,.
    patient as the pine tree that stands in the sun
    and whispers to the wind…
    You are the one!

    May the fires of my love
    keep you happy and warm;
    May the strength of my love
    keep you safe from all harm.
    May the light of my love
    guide your pathways together.
    May the joy of my love
    keep you happy forever.

    um som que ficou legal:

    Beijo

    Vou escrever nos outros,to lendo agora.

    Olha foi no teu email, nem o da Bia e nem o da Ju não entraram – 3 vezes.

    Comment by André — 19/01/2010 @ 8:14 AM

  2. Muito bonito mesmo, Fy.

    Este Whitacker é mesmo ótimo!

    A musica faz pensar.
    É,era legal mesmo qdo O Amor podia ser cantado e sentido desta forma.Eu vou te dizer uma coisa que é uma opinião bem pessoal,acho que agente canta o Amor como sempre cantou,mas sentir ficou mais difícel e raro.Mesmo que as pessoas sintam um tesão enorme por sentir,o lance do amor ficou meio que oportuno ou não oportuno.Conveniente ou não conveniente.Não é mais procurado como aquilo que faz com que qualquer coisa se torne conveniente e oportuna.
    Mas quem sabe?
    Olha estas duas que legais:são Cheyennes se não me engano,e também são canções que não se canta muitas vezes,

    How, then, can I tell you of my love?
    Strong as the eagle,
    soft as the dove,.
    patient as the pine tree that stands in the sun
    and whispers to the wind…
    You are the one!

    May the fires of my love
    keep you happy and warm;
    May the strength of my love
    keep you safe from all harm.
    May the light of my love
    guide your pathways together.
    May the joy of my love
    keep you happy forever.

    um som que ficou legal:

    Caramba agora entrou.

    apaga o outro depois,Fy, beijo

    Comment by André — 19/01/2010 @ 8:27 AM

    • André,

      Lindas.

      Mas quero te dizer uma coisa.

      Lá no post do Caio, Teatro 1 – no seu comment vc falou sobre a conexão.

      Eu, sinceramente creio que conexão seja Amor.[ sou panteísta sim: declarada como já te falei :….- difícel…. isso, my friend : difícel : acabei de crer]

      Mais: também creio que conexão seja algo natural a nós humanos, tanto que qts “religiões” precisaram ser criadas pra que ela fôsse ou se tornasse uma aptidão tão obliterada. – O termo “religião” no caso , compreende muitos ítens.

      Mas , no meu território aqui dos “acreditos” – eu acho que quando esta “ligação” acontece, : permanece.

      Não se procura esta “qualidade” de sentimento : ele simplesmente acontece. E , dos que aconteceram e que por qualquer razão , nos afastamos , sempre – sempre vai existir a qualidade de conexão que tivemos.

      Por isto , o verdadeiro amor é uma espécie de conexão especial – e única : quando , e cada vez que acontece.

      Legal vc escrever sobre isso. Escreve quanto voce quiser.

      Bj

      Comment by Fy — 21/01/2010 @ 2:12 AM


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: