windmills by fy

05/05/2010

Papai – mamãe – titia – e o Ego

Filed under: Uncategorized — Fy @ 3:59 PM

 

 

 

 

  

  

  

 

 

 Não posso lhe dizer como é um homem que goza de uma
completa auto-realização , nunca vi
nenhum …

  

  

… antes de buscar a perfeição , devemos
viver o homem comum  :   sem mutilação .

Carl Gustav Jung

 

 

 

 

 

 

W H E R E   I S ?

–  W H A T  ?

   MY  EGO  !

  

       . . .   [ – I …  suppose  … ]  . . .

 

 

 

  

  

 

Quanto mais profundas forem as  ‘ camadas ’  da psique ,

 mais perdem sua originalidade individual.

Quanto mais profundas … mais coletivas se tornam . …

O carbono do corpo humano é simplesmente carbono ;

no mais profundo de si mesma , a psique é universo ” .

 

 

 

.

  

  

  

Quanto maior for a carga da consciência coletiva ,

 tanto mais o eu perde sua consciência prática .

 .

  

A terapia tem por objetivo reforçar a Consciência  .
  

  

  

  .

  

  

 É , por assim dizer :   sugado pelas opiniões e tendências da consciência coletiva ,

     e o resultado disto é o Homem Massificado  : a eterna vítima de qualquer  “ ismo ”  .

  

  

  .

  

 

  

  

Todo meu trabalho ,

tudo que eu alcancei com MINHA MENTE  e  MEU ESPÍRITO ,

envolveu os sonhos iniciais e fantasias  .

 Carl Gustav Jung

[ em todas as frases acima ]

.

  

 

 

 

 

 

 

 Jung , antes de morrer   – ‘ entre aspas’  –  porque pessoas assim não morrem nunca ,

 em 1954 ,  – depois de 25 anos de Psicanálise e de dedicação total   –  e  exatamente 7 anos  antes de ‘ morrer ‘  –

disse um pouquinho mais :

  

  

  

 

  – Para nós – no Ocidente –  o Consciente é inconcebível sem um Ego :  é igualado à relação de conteúdos de um Ego .

Se não existe nenhum Ego , não existe ninguém para ter consciência de alguma coisa .

  

  

.

  

 

 Por conseguinte ,   >  o Ego é indispensável ao processo consciente .

  

  

.

  

  

 

 A mente oriental , no entanto , não tem nenhuma dificuldade em conceber uma Consciência sem Ego .

A mente oriental  , é considerada capaz de transcender a sua condição de Ego ;

na verdade  nas suas formas  mais elevadas , o Ego desaparece por … completo .

 

Para nós , uma tal condição mental , desprovida de Ego ,  > só pode ser Inconsciente

 pela simples razão de que não haveria ninguém para testemunhá-la .

  

  

  

  

  

  

  

  

  

Eu não duvido da existência de estados mentais que transcendem o consciente .

Mas   eles   devem   à  sua consciência   exatamente   ao   mesmo   grau   que   transcendem   o   consciente  .

[ ! ]

  

 

  

 

Não foi mesmo … Jung – quem escrutinou profundamente o conceito freudiano  :   EGO  

  

 

 

E… não é o  Ego , o conceito que Freud utiliza para designar o conjunto de processos psíquicos e de mecanismos

através dos quais o   ”  organismo  ”   entra em contato com a   ”  realidade objetiva  ”    ?

  

  

  

 

ou ….  isto é  ”  falta de  ”  iluminação  ”    ?

coisa   de   ” ego ”    ?

 

 

 

 

a   Vida   tem   ” gosto ”   –    ” sabores ”   –   “cores ”   –   ”  alegria ”    e    ” dor “

  

 

 

P A R T I C I P A Ç Ã O

 

 

 

V

E

R

D

A

D

E

I

R

A

 

quando não nos esterelizamos   e nos tornamos inumanos . 

  

  

  

  

 

 

  

  

 

 

 

 

 

–    esta   ” esquina ”    se   chama   OMISSÃO    –

e   é   lá  …  

no   quarteirão   do   Escapismo    –

   

  

  

 

 

 

 

  O Ego seria um guia do comportamento do organismo  : à luz da realidade .

É certo , que o Ego faz eco das demandas do Id e dos seus desejos ,

mas a sua função consiste em os satisfazer ou não ,

segundo as possibilidades oferecidas pela realidade .

 

 

 

Não é que o Ego não queira o prazer que o Id procura ,

porém às vezes reconhece que tem de suspender a sua procura sob pena de entrar em conflito com a realidade .

 

 

 

  

Um Ego amadurecido normalmente , não se assusta ao fazer eco dos desejos do Id , ao tomar consciência deles .

Ao contrário : um Ego desiquilibrado  e neurótico resiste a trazê-los à consciência ,

defendendo-se contra eles através da repressão   ( recalcamento )  e outros mecanismos de defesa .

 

 

 

Um Ego maduro e adulto – normal –  não se assusta , não teme os desejos instintivos ;

o que não quer dizer que os satisfaça a todo o momento ,

significa somente que os consciencializa

e depois os satisfaz

ou não : 

segundo seja ou não racional fazê-lo .

 

 

 
 

No Ego radicam as funções perceptivas , cognitivas , linguísticas e da aprendizagem ,

ou seja , todas as funções através das quais o sujeito se adapta ao meio ambiente .

  

 

 

 

 

 

–   deve ser …    complicadinho …    ” dispensar ”   o   EGO ,  

 … crucificar   …   dissolver   …

já pensou no que nos tornaríamos ?

pois é …

  

 

 

  

  

MAIS :   quem gosta do tal  Processo de Individuação : Junguiano  precisa , e muito , do tal do EGO   ( eu-consciente )  .

porque   Jung   raciocinou    … e :

 

 

 

De acordo com Jung , o ego é fundamental no Processo de Individuação porque

orienta conscientemente a interpretação do Self e dá-lhe :

um sentido terreno , mais prático e lógico .

e …

Tem uma dimensão  moral .

 

 

Sendo o Self toda a gama de fenómenos da psique  ,

que inclui o  Consciente  (EGO)  e o Inconsciente ,

o EGO  passa a ser centro da esfera da consciência .

 Staude – 1981 : 109 -111 .

 

 

 É precisamente esta a essência do   EGO  para Jung .

 

Por isto mesmo , o processo de individuação é , ao mesmo tempo :

uma Teoria  Social da Ética   e   uma Teoria Psicológica .

  

 

 

O caráter auto-regulador  e  auto-determinador

do indivíduo é transversal ao Processo de Individuação de Jung .  

Staude – 1981: 99

 

 

  

Através da   “ função transcendente ”  ,  Jung explica também que

o intercâmbio  dinâmico entre os pólos da personalidade ,

que vão desde os conteúdos do Lado  Consciente até aos conteúdos do Lado Inconsciente ,

permite e torna possível a transição  de uma atitude para a outra .

 

Ou melhor :  as transferências de um pólo para o outro da  personalidade

 são mediadas por processos de individuação  ,  resultantes de :

mesclas de  Consciente   com   Inconsciente .

Staude – 1981: 100

  

 

 

 

 

 

 

 

–  ahahahahahah –

 

 

 

 

 

 

 

Jung considera ainda os conteúdos arquétipos fundamentais para a construção da psique .

 
 

 Os  arquétipos  são  entendidos  como  imagens  primordiais  herdadas  e     sem conteúdos   pré-determinados   .

 

 São   VAZIOS   e   passíveis   de   serem   preenchidos   pelo   material     proveniente   da   Experiência    Consciente    do   indivíduo  .

 

 

 

 De uma outra forma  ,  podemos dizer que as imagens arquetípicas

são preenchidas com conteúdos que são o resultado de um processo de individuação ,

que depende da forma como :

 

 

–   vivenciamos  as  situações  –

 –   da  nossa  personalidade –  

 –  do contexto histórico – 

    –  da nossa história de vida – 

   e de muitos  outros fatores

 Jung  – Staud  1989

.

 

 

 

 

– pra  quem  tem  mania  de  se  desintegrar . . .  e  se misturar . . .   [ ? ]

ou   qualquer coisa  …  ou coisas … ” assim ” …  altamente esquizas –

ou  achar que o Inconsciente é  algum deus ,

ou o . . . esconderijo de algum outro ,

 convém lembrar que , dependendo destes fatores enumerados por Jung

este deus pode ser tanto uma girafa quanto qualquer outra coisa :

na Índia por exemplo  : ratos são divinizados ou sagrados , há milênios  .

 

 

 

.

  

 

  

e  sempre é bom perceber ,     [ prestar … atenção ]    que : mesmo se esterilizando a vida inteira ,

os deuses também rejeitam , a bel-prazer …

… até   quem    “nem”     teve a oportunidade de      ” formar… um ego “

já pensou que trabalhão à toa ?       –   é … eles tem preferências divinas e  bipolares :  … com ego – sem ego … 

e  nem  sempre  eles  aceitam  … a  tal     ” integração ”   :    “comungada…”   :

seja lá isto …

             o que for …. [ !?! ] !

  

 

 

 

 

 

 

 

 

–   eu  inclusive  penso  que  este  tipo  de   ”  rejeição ”    ” d o g m á t i c a “

FORTALECEU  os  Egos   de  muitos  HUMANOS  inesquecíveis

que  arregaçaram  suas  mangas  e  sua  CONSCIÊNCIA  ,

como  diz  Wilber ,    e os   ” escapantes ”    não gostam de ouvir  .

  

Nada  como  um  ” dogma” . . .   ou  um  samsarazinho  … da hora . . .  pra  explicar  minha  alienação .  

E no embalo : explico minhas  frustrações  e  minha  incompetência .

  

 

 

 

 Contudo   há   dois   perigos   que   provém   da    identificação desordenada    com  os  arquétipos :

[ este cara é … otimista …]

 

 

 

 

1)   um  . . .   ” hipnotismo ”   gerado pelos conhecimentos  ,  sobretudo por  ” aqueles ”  …    que parecem ser capazes de explicar quase todo o universo  ;

 

 2) ao  absorver  o  conhecimento e , consequentemente ,  ampliando a consciência , o indivíduo

sobe a um nível não-humano ,  afastando-se dos outros  .

 

 

 Ele  chama  a  esse  efeito   o   « efeito de inflação »   :

  

  

  

 

 

Não tem um ponto de vista,
Não sabe aonde vai,
Ele não é um bocado como eu e você?

Homem de lugar nenhum, por favor escute
Você não sabe o que está perdendo,
Homem de lugar nenhum, o mundo está a seu comando.

Ele é mais cego do que pode ser,
Só vê o que quer ver,
Homem de lugar nenhum, você realmente pode me ver?

Homem de lugar nenhum, não se preocupe,
Tenha seu tempo, não corra,
Deixe tudo até que mais alguém
Lhe empreste a mão.

Não tem um ponto de vista,
Não sabe aonde vai,
Ele não é um pouco como eu e você?

Homem de lugar nenhum, por favor escute
Você não sabe o que está perdendo,
Homem de lugar nenhum, o mundo está a seu comando.

Ele é realmente o homem de lugar nenhum

Sentado em sua terra de lugar nenhum

Fazendo todos os seus planos de lugar nenhum

Para ninguém.

Fazendo todos os seus planos de lugar nenhum

Para ninguém.

Fazendo todos os seus planos de lugar nenhum

Para ninguém.

 

A   inflação   é :

 “ uma expansão da personalidade além de seus próprios limites ,  pela identificação com um arquétipo ou com a persona ” 

 Jung – 1964: 356

  

 

 

 

Percebemos então o quanto  o EGO  é também fundamental no Processo de Individuação de Jung ,

pois é a  voz consciente e racional na tomada de decisões .  

 Staude – 1981

 
   

 

Por isso mesmo , o Processo de Individuação implica por um lado decisões éticas e ,

por outro ,

Vontades e  Desejos .

 A Ética é a linha condutora do EGO  , ao passo que o Desejo e a Vontade são o guia  do Inconsciente .

 

 

 

Jung considera que essa ética é fundamental para a compreensão dos

arquétipos inconscientes ,   pois :

 ” a sua incompreensão ,  assim como a falta de sentido de responsabilidade ética ,

privam a existência da sua totalidade e  conferem a muitas vidas individuais  um cunho de penosa fragmentação ”

 Jung – 1989 : 171

  

 

 

 

 
 

mas   …  como  diria  um  tal   de   com – sense   :      pra neuronar  …   –  hay que tenerlos  !

 

 

 

 

Mais um ponto de vista  bastante  relevante  :

  

  

  

 

 

Por Lázaro Freire 

Psicanalista e Filósofo,

Terapeuta de orientação Junguiana / Transpessoal

e criador da VOADORES.

 

 
– Sei que o conceito de EGO é confuso –  especialmente para quem pensa que é algo a ser ” matado ” .      [ dissolvido: eliminado ; tem até : ” crucificado”]

Vou tentar , na medida do possível , desenhar :
 

 

 

Há equívocos na tradução do sânscrito , e muitas generalizações sem base psicológica .

O que espiritualistas em geral chamam de ” EGO ” (  sem perguntar porque o chamam assim )  não é o   ” EGO ” .

 

 O que você vê criticado nos textos do Osho não é   ” EGO ”  .

  

 Egoismo não é   ” EGO ” .

  

Neurose e excesso de materialismo não é   ” EGO ” .

  

O que as metáforas hindus pedem para que neguemos não é o   ” EGO ” .

  

 Egocentrismo doentio também não é o mesmo que   ” EGO ” .

  

 Porções do eu que se identificadas com a neurose , desejos excessivos ou materialismo não são   ” EGO ” .

  

 
 Usar a mente não é   ” EGO ” .
 
 E , definitivamente , contrariar a visão de uma religião ,

 
ousar questionar ou fazer filosofia prática   NÃO É    ” estar cheio de EGO ” ,

 
embora seja SIM o EGO ( SAUDÁVEL ) que permita o questionamento .

 

 

 

 
 

Numa visão pós-junguiana , o EGO revela-se como um *complexo* com alto grau de continuidade;

 não é um arquétipo, não é um defeito, não é uma psicopatologia,

 não é um diabo, não é um obsessor , não é uma ” mentira da mente que mente ” .

 
 

 

 
O EGO  é a amálgama de conteúdos

 
que nos faz ter a sensação de que quem acordou  hoje na nossa cama é ,

 
PROVAVELMENTE (não há certeza) , o mesmo “ente” que lembramos

 
de ter dormido ontem no que parece ser o mesmo lugar .

 
E  é esse  EGO  que , só surgindo após termos nos aculturado

 
( criancinhas não tem , psicóticos também não – mas ambos podem ter ” personalidade ” e egoismo )  ,

 

 
garante a nós também a possibilidade de vida social ,

 
de experiências do consciente , indispensáveis para “existirmos ” e evoluirmos aqui ,

 
enquanto estamos aqui , por precisarmos estar  AQUI.

 

 

 

No sânscrito , há vários termos associados a  EU , individualidade , personalidade ,

 
partícula divina do consciente , assim como esquimós tem  :  34 palavras : para  > neve  . . .

 

 

Talvez porque psicanálise era novidade , ou por ser chique citar latim ,

 
na falta de uma palavra vários tradutores ocidentais usaram EGO para designar várias facetas do mesmo EU ,

 
pasteurizando DEZENAS de termos   ( muito )   diferentes , de ahankara a atman ,

 
incluindo aí as porções menores do eu  que patologicamente se identifiquem demais com desejos e neuroses

 

–  com a ressalva de que a normalidade ocidental nos EXIGE um pouco mais dessa identificação

  

 do que o contexto de um antigo hindu , que aqui seria visto como psicótico .

 

 

 
 

Mas podem estar certos que nenhum yogue antigo leu escreveu em latim ,

nem tentou ser psicanalista : o EQUÍVOCO é recente e Ocidental  ! ! ! 

 

 

E   muitos   ” mestres ”   espiritualistas   e   “ líderes religiosos ”

  
usam o termo como uma espécie de   ” Diabo Cristão ” ,  ou seja :

 

–  um amontoado indefinido por conveniência ,

 
onde reúnem TUDO que querem que seja pecado ,

 

 incluindo TODOS que os questionarem :

   
quem usar a mente para pensar,

 
os dissidentes ,

 
o que não endosse seus dogmas ,

 

todas as práticas que eles proibiram ,

 
todos os desejos que queriam ver exterminados , todo  o   ” pecado ” .

 

 
Tudo isso , para estes   ” condutores ”  paranóicos , virou sinônimo de   ” EGO ” .

                                   
 É exatamente a idéia do   ” DIABO ”  Cristão  Medieval .

 

 

 
EGO , o verdadeiro , precisa ser  TRANSCENDIDO ,   e não negado ou  ” Morto” .

 

Transcender implica em   INCLUIR  .

 

 

 

VOCÊ  TEM   EGO  ,

 
TEM CONTINUIDADE ,

 
VIVE  AQUI ,

 
TEM  DESEJOS e PRAZERES  : SIM ;   MAS >  Você : USA TUDO ISSO ,

 
AO INVÉS DE SER USADO POR TUDO ISSO .

 

 

Você não abre mão da sua capacidade de decisão, ao contrário:

 
você a mantém , consciente , e até a ELEVA para uma visão maior , a de fora , a do Self , do Eu Maior .

 
Do “divino” integrado , se preferir.  Caso preferir –

 

 

A esse processo  ,   de  MANTER  O  EGO   mas   DESLOCAR  a sede da consciência dele para o Self  ,

 
 é que JUNG chamou de   Individuação .
 
 

Se sobrarem dúvidas no conceito original de EGO  ( que não é o dos hindus )  ,  nada como ler a definição original .

 
 

Grande parte das discordâncias em espaços universalistas ocorrem desnecessariamente ,

por   significados pessoais   diferentes para as mesmas palavras .

Convenção por convenção , a Voadores  costuma valorizar a fundamentação acadêmica .

Pelo menos aqui , chamemos as coisas pelo que são :

Mas……….    isso na internet parece pejorativo ou ofensa , rs ,   –  pois com embasamento , … acaba a diversão .  ! 

 

 

 

 

 

 Viver   ” sem ego ”   é um mito , no mal sentido da palavra .

 

Este conversa pseudo-espiritual de   ” viver sem ego ”   é um convite à psicose , e não à iluminação .

  

Podemos matar o egoismo , não o ego .

  

 Os delírios , e não a mente .

  

A neurose , não os neurônios .

  

O individualismo , e não o indivíduo .

  

A falta de sentimento , e não a existência de pensamento .

  

A indisciplina excessiva , e não a saudável capacidade de questionar .

  

O que nos “afasta”  de deus , não o que nos sustenta aqui .

  

Vejo religiosos usando o termo EGO ao seu bel prazer,

  

quase como um Coringa que pode valer como “vaidade”, “egoismo malévolo”,

  

 “personalidade forte”,

  

“subversão às ordens de meu guru”

 
e até mesmo “capacidade de pensar”.

 

Tudo é “ego” para eles, menos os vários conceitos sérios dele   ( que são vários , também , e nenhum parece com esses ) .

 

Há também pseudo-hinduistas , que sem perceber incorrem no maior ego de todos:

  

o de se achar livre do ego .

  
Dizem eles :
 
” eu aniquilei o ego e estou unido ao Todo … e você , mundano ! , não “.  :^)

 

Ora , que todo é esse que não inclui tudo ?

 

Podemos no máximo remover a ilusão de que SOMOS aquilo que ESTAMOS ,

 
mas sem criar a ilusão maior de achar que já ESTAMOS aquilo que SOMOS .

  
 
Além do mais , é uma vingança irônica do ego :

 
quem se afirma ” sem ego ” no fundo acredita ser maior que os demais .

 

 

Ou não se definiu adequadamente o que seja EGO ,  ou   –  com todo respeito  –   …não se tem a menor idéia do que estão falando .

 

 

 

 
Não ter ego equivale a psicotizar  :  inclui delírios e alucinações ,

e exige medicamentos sob pena de  ( constatados )  danos à estrutura cerebral .

 
 
 Perda cognitiva não é iluminação .

 

 

O ego é quem ouve o que acreditamos ser certo e errado , e toma seus julgamentos e decisões .

 

Se um yogue sem ego preferiu ouvir seus conceitos espiritualistas aos seus desejos , quem fez isso foi seu ego .

  

Se um vegetariano brahmacharia sem ego deixar de comer carne ou fazer sexo , quem optou por isso foi seu ego .

  

E essas escolhas se dão na mente que o tal yogue disse que abandonou .

  

O Wagner Borges costuma contar em palestras que um yogue passou toda sua vida meditando  para conseguir parar todos os pensamentos da mente .

  

Com muita disciplina , um dia chegou lá , e feliz ,   . . .    PENSOU:    ” Consegui ! ”   :-)  !

  

 

 

 
 

Há quem pense que ” matar o ego ” é apenas viver sem máscaras , mas até isso é Impossível:

a persona tem sua função , sem ela não há socialização .

Mais razoável seria conhecermos as máscaras que precisamos usar .

 

Espíritas também usam a expressão , em seu crescente sincretismo hinduista .

 Mas aí fica mais incoerente ainda , pois seus relatos mediúnicos sobre cidades astrais

são baseados justamente na manutenção do ego do lado de lá ,

… até bem mais definido , … tanto nos que o usam para seguir as intruções do plano maior  –

quanto nos malévolos ou patológicos desencarnados .

 

 

Há quem diga que o ego é sempre  “o”  dos outros:

 

– Em si, seu compromisso de “matar o ego” é sempre um objetivo ( bem … ) futuro ,

  

uma meta suave , uma espécie de “ noivado ” com o divino . . .

  

– Nos outros , contudo , é um julgamento impiedoso daqueles que só o ego poderia fazer .

  

 

 

Numa repetição ” espiritualista ” da posição esquizoparanóide   de vários julgamentos religiosos ,

 

o “ego” assume a função já ocupada pelo   ” diabo ”   …

  

e o possuído é sempre o próximo , o que tira a atenção do observador , que assim :

  

se identifica com o “bem” não por trabalho interno ,

mas pelo rotular e afastar de seus próprios aspectos sombrios projetado nos outros .
 
Se “o resto” aos meus olhos é “o mal”, sobra para mim – sem esforço – ser o bem .    [ a lógica é a iguaria do pensamento! e  é muito bom isso! ]

 

 

 

 

 

Se “os outros” são “o mundo”, só posso então ser ” de Deus ” .

  

 

 

O sábio ramakrishna resume bem este tipo de yogue , antecipando em décadas a psicanálise :

 

” Quem julga o ego é sempre um ego maior “.

  

 

 

 

  

Ramakrishna também dizia que não podemos viver sem ego aqui ,

 
mas que podemos transformá-lo em um ego servidor .

 

 

 

 Em outra passagem , pergunta o objetivo de vida de seu maior discípulo , e ouve :

 

 

“Ah , mestre , eu gostaria de atingir o samadhi , deixar meu ego , fundir-me ao todo , e dissolver-me em Deus “

Ao que o grande mestre ensina :

” Não lhe parece um objetivo muito EGOista , sabendo que há tanta gente precisando de ajuda AQUI ? “

😉

Lázaro Freire

http://www.voadores.com.br/site/geral.php?txt_funcao=colunas&view=4&id=222

 

 

 

 

Com certeza esta é uma visão não deturpada por alguma obsessão religiosa ou delírio psicopata .

Este tipo de visão saudável , sempre incomoda mentes doentes

que por alguma razão desiquilibrada sofrem de aversão à Vida ,

e à tudo de saudável que ela contém , apenas em si mesma .

 

 

E eu me lembrei de uma poesia genial do Francisco Fuchs , 

que sempre tem um lugar de honra  aqui no Wind ,  pra terminar :

 

EGO SUPER PIMPÃO

 

Pobre superego pimpolhão

sempre zombando de tudo

que não se conforma

aos modelos mentais

com os quais foi enrabado

ainda criança

a golpes de escárnio

por papai    mamãe    titia

professores papagaios

e coleguinhas de escola

tão bem enrabadinhos .

 

Meu riso o  incomoda

porque  é  inocente

Minha  palavra  o  incomoda

porque   Afirma

Minha  vida  o  incomoda

porque   é   Livre .

 

Francisco Fuchs

 

 

 

Ilustração:

Maggie Taylor

Pesquisa:

Jung

Staude

Fuchs

Lázaro Freire

http://www.voadores.com.br/site/geral.php?txt_funcao=colunas&view=4&id=222

 

 

Fy

 
 
 

 

 
 

 

 

 

 

  

  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  

 

28 Comments »

  1. Tô te mandando umas pgs doGoleman,super legais e que pegam bem, quase grudam nesta análise do Jung.

    Eu gosto do Wilber,quem não gosta?Porque não gosta?

    Alguem por aí não tem ego? huahuahuahau – Tá caro //////…. mas é bom demásssss.

    Brincadeira à parte:qto monge,monja…senão fica monga? ////// Eu acho um baratésimo esta quantidade fashion de monge e monja.Aqui rende,igual academia,estes “cantinhos budistas”:é templos,né? mas,te lendo me lembrei e a pergunta vai bem: e da Madre Tereza, que nem sabia o que era ego,nunca teve samadi nenhum,e escrevia pro papa perguntando “onde” é que tava Deus?E nem sabia mais que era freira, NINGUÉM LEMBRA?ou ela já era?

    Bj

    Ju

    Comment by Juliana — 06/05/2010 @ 10:59 AM

    • te lendo me lembrei e a pergunta vai bem: e da Madre Tereza, que nem sabia o que era ego,nunca teve samadi nenhum,e escrevia pro papa perguntando “onde” é que tava Deus?E nem sabia mais que era freira, NINGUÉM LEMBRA?ou ela já era?

      Ju, vc é genail! Pois é, a própria igreja faz de conta q ela nunca existiu. Os questionamentos dela são ameaçadores, mesmo provenientes de experimentações tão simples.

      Imagine o que toda esta grana gasta com pedofilia teria feito pelos doentes da querida Madre Tereza. Querida.

      Ela sempre foi ignorada.

      O Wilber… é o F…

      ahahahahahah

      Bjs
      e bjs em todo mundo

      Fy

      Comment by Fy — 07/05/2010 @ 12:25 PM

  2. Sabe Fy,esta conexão é francamente óbvia.
    O que eu acho é que não ficou suficientemente claro,um fato bastante simples.Ego,palavra cujo sentido pertence exclusivamente à Psicologia,muito bem explicado pelo Lázaro,até dei um pulo..de boas horas..lá na Voadores,é o único responsável pela existência ou não de qualquer tipo de espiritualidade.Como óbviamente explicou Jung.A pergunta da Ju é pertinente,quem é o acéfalo que afirma não ter ego?
    De resto,o texto é formidável.
    Voce reparou que depois de Jack,the ego,Jung se tornou “confuso”?
    É meu querido Hurricane:HAY QUE TENERLOS!

    Mas presta atenção neste teu amigo véio,meio que apaixonado por nossa História também.
    Estamos diante de um Ego,com todas as características de uma personalidade já formada,velha,engessada em conceitos curtos e não satisfeitos.Tal é a insegurança com que incorpora cada corrente de pensamento ou “estilo” de comentário que,diferentemente se apresentam. Tal é a maneira debochada,máscara que improvisa a cada nova informação com que sua ignorância restritíssima se depara com argumentos que desconhece por pura falta de cultura ou cultura circular.
    Meu bem,fora deste comportamento inadequado e vulgar,inclusive,fora estes assuntinhos robotizados,cheios de típicos tópicos,não há ninguém lá.
    Bem ao contrário do que copia,não há nada que se aproxime de um comportamento razoável.

    Egos enrabados,infelizmente é o que de mais comum e corriqueiro se depara por aí.É preciso uma espiritualidade muito esclarecida,um nível de intelectualidade favorável,um interesse profundo em se construir,ao invés de copiar parágrafos de Individuação ou qualquer outra atividade intelectualóide suburbana.E assim vão incorporando esta ou aquela versãozinha mais comum e menos polêmica,batendo sempre na mesma tecla,que é seu único argumento e couraça tanto emocional quanto intelectual.

    Esta poesia do Fuchs foi um toque de refinado humor.E estilo.
    Parabéns pelo texto e escolha de autores,o Staud é bastante interessante.
    Amanhã estou aí.

    Juju,também gosto do Wilber.Tem muita coisa boa,sim.
    E Madre Tereza é só mais uma verdadeira pessoa.

    Beijos

    Tio Gus

    Comment by Gustavo — 06/05/2010 @ 1:03 PM

    • Gustavo

      Voce sabe que eu não sou a favor desta dualidade infame. Vc acredita que meu Jack teve quase 300 chamadas em 5 dias?
      O Staud é muito legal sim, psicólogo transpessoal e diretor do Instituto Proteus, na Califórnia,e trabalha com Gestalt do Perls. Minha mãe é fã dele e da pesquisa pré-natal que ele desenvolve. E eu adoro o Perls…. Não apresse o rio , ele corre sózinho.
      De resto, Gus, o lance é todo um marasmado disfarce de Jung em cima de obsseção de igreja universal.É um culto [ curto] disfarçado cada hora de uma coisa: tao, budismo, junguismo, gente assim entra em histerismo, mesmo.

      Ahahahah lembrei de uma coisa… não é ” gente de palavra” > é “gente que “é” “a” palavra” !!!! – conhece ? coisa da bribia.

      No meio do “curlto” cai no chão – começa a rolar num samadi doidíssimo, falando a língua dos anjos e gritando Sou Gesuis – Sou Gesuis – Aleluia !
      Punk, brother!!! forrrrte! Ilumination! [ junguiana ] : o demonio é dominado e expulso : exorcismo da Universal: no-ego : anjo de dios.
      Passa na televisão e tudo!

      Bjs

      Bjs

      Fy

      Comment by Fy — 07/05/2010 @ 12:59 PM

      • Já ví sim, e é bem por aí.

        Se “os outros” são “o mundo”, só posso então ser ” de Deus ” .

        Aqui tem uma em cada esquina, devem fazer alguma parceria com as “otoridades”.

        Disfuncionalismo,analfabetismo funcional, é muito rentável.É tudo “servo”.O salário da miséria enobrece a alma.
        A cachaça e o crack também: resultado da insatisfação e miséria.

        Fy,coloca o site do Lázaro,eu vou colocar pra Sofia M.;mas não é bom colocar no post?

        Beijo

        Tio Gus

        Comment by Gustavo — 07/05/2010 @ 1:22 PM

  3. Puxa, Fy, que delícia de post.
    Além de uma tremenda sacudida no ego rsrsrsrsrs!
    Incrível como agente consegue se afundar ou se esconder dentro dos proprios problemas ou duvidas,picuinhas e mesquinharias do nosso dia a dia.
    Eu confesso que distraída em meu egocentrismo e egocentrismo sem atenuantes,há muito tempo não paro para pensar realmente que existe um mundo e que faço parte de tudo isto.
    Ego é uma palavra que perdeu o sentido.Virou rótulo ou palavrão,e como disse o LázaroFreire,é usada erroneamente.
    Você me chacoalhou.
    Fico horas me entretendo com coisas novas,com a força das gravuras,com suas brincadeiras, estas gotas de luz,e opiniões que me agradam, me surpreendem e me fazem olhar a vida de outra forma.
    Obrigado a todos,
    beijo para voce.
    Ah como posso acessar o blog deste Lázaro Freire?

    Sofia M.

    Comment by Sofia — 06/05/2010 @ 2:59 PM

    • Oi Sofia,

      Eu como já procurei e já dei uma zoiada por lá vou deixar aqui pra você:

      http://www.voadores.com.br/site/geral.php?txt_funcao=colunas&view=4&id=222

      Vale a pena.

      “há muito tempo não paro para pensar realmente que existe um mundo e que faço parte de tudo isto.”

      O fato de estar com agente já prova que você está se lembrando.E assim como sua opinião, reflexões, palavras são importantes por aqui, minha cara, imagine sua importância no mundo.A grande palavra da nossa época e talvez nossa única saída seja Integração.

      Até já,

      Tio Gus

      Comment by Gustavo — 07/05/2010 @ 1:55 PM

    • Oh Sofia,

      Foi puro esquecimento . Tio Gus me salvou!

      [ sempre salva]

      Devo desculpas a vc, a todo mundo e ao Lázaro Freie principalmente.

      Isto pq vc não imagina a confusão que eu fiz pra pedir autorização pra postar o texto. ahahahahah

      Sei lá se consegui! Mas é mta burocracia… mta lista pra preencher, … mas tá certo, assim se preserva um pouco de SANIDADE ACADÊMICA , não no sentido de sanidade castradora, mas no sentido de eliminar INSANIDADE OPORTUNISTA.

      So sorry, [ já corrigi : bj Gus – thank’s : my bad!]

      Bjs

      Fy

      Comment by Fy — 08/05/2010 @ 2:03 AM

  4. Eu não sou grande fã de Jung, sou mais os pós junguianos.
    Na verdade penso que somos uma mistura de razão, emoções, espiritualidades,instintos e realidade material.Isto e mais uma porrada de coisas que convivem simultaneamente, ora em harmonia, ora em estados de mútua pressão, estimulados e solicitados ininterruptamente.
    Temos momentos de relaxamento e de estress. Só não podemos perder o fio da meada, e isto me faz reconhecer o poderoso instrumento que é a mente. Um instrumento inacreditavelmente rápido, eficiente e continuamente disponível.Recebe, capata, percebe, reflete, conceitualiza, distribui e expressa. Sem terrorismos espirituais, inconscientes coletivos massacrantes e viagens psicodélicas e torturantes. Jung se perdeu muito e muitas vezes na formulação de conceitos que variam de pessoa pra pessoa e na propria pessoa durante as experiências da vida.
    Eu tenho uma opinião sólida em relação a estes transtornos de comportamento que as pessoas mal informadas repetem que nem ladainha,e que se designificam rapidamente através da repetição,e isto transformou a tal da Individuação num total palavreado sem sentido, mais próximo da alienação esquizóide. Bom para os templos,como disseram lá em cima, já temos poucos mesmo. Nada como um made out there.
    Eu recomendo pras pessoas que tem este papo esdrúxulo que reúnam tudo o que tem, doem para quem necessita e façam a coisa bem feita. Misturem-se ao todo, a Deus, à Deusa, superem a vida, e tornem-se na raça mesmo, imateriais, abstratos, como voce diz, desintegrados.
    Tem um post seu assim lá pra tráz. Muito da hora, bem lembrando.
    Bom vou dormir, com tudo o que eu sou, porque amanhã o dia recomeça e eu gosto que seja assim.

    Abraço
    Fábio

    Comment by Fábio — 06/05/2010 @ 3:57 PM

    • Eu não sou grande fã de Jung, sou mais os pós junguianos.

      – Eu sou fã : NÃO SEGUIDORA.

      Não cultuo idéias. Aliás Fábio, como Deleuze é meu preferido, uma das coisas mais sensatas e normais nesta vida é aprender a admirar corretamente as grandes idéias, os gds pensamentos, a poesia, a ciência, a medicina , etcetalz > LOCALIZANDO-AS EM SUA DEVIDA ÉPOCA , RELEVANDO todas as condições que as gestaram.

      Só assim podemos admirar, relevar, e atribuir a importância correta a cada passo em direção à evolução. Como é que poderia existir : “pós-Junguianos” se não existisse Jung?

      ISTO É DEVIR. Nada é estático. Nem pensamentos. Caramba, eu não consigo entender como alguem pode não perceber.

      Se fôsse diferente estaríamos esfregando pedras pra acender o fogo …. ainda…. [ nénão ?, manezada ?]

      Truth is the silliest thing under the sun
      Herman Melville , Letters

      E pra mim, quem perde o senso de análise, quem não pesa as consequências de determinados segmentos – filosofias – regimes políticos – ideologias –

      Quem não se interessa pelas reações, resultados, prejuízos, benefícios, de certas ideologias, perdeu o SENSO de HUMANIDADE > odeia SER – HUMANO e deveria mesmo parar de cacarejar e fazer alguma coisa por si mesmo.

      Antes mesmo de fazer pelos outros, porque : primeiro não conseguiria e nem de longe é esta a intenção > na verdade este lance de tudo é deus ou tudo é todo : é a mesma coisa que dizer : ô Otário…. voce ainda taí?

      Sem perceber , como diz Nowhere Man > que se está em lugar nenhum.

      Safadeza, se voce pensar bem.

      Tudo se transforma > continuamente > e esta é pra mim [ e pra Deleuzianos, entre outros pensadores ] a grande falha da Teoria do Inconsciente Junguiano > nada, nem mesmo os arquétipos escapa deste contínuo devir que “natural e inexoravelmente” transforma – imagine se não fosse assim! Seria muito louco se num flash , fôssemos arrebatados pela imaginação de Mary Shelley,a única responsável pela fixação do mito do horroroso e pobre Frankenstein. Única não, sorry, a Universal Hollywood Studio > um dos maiores criadores de mitos, pra mentes sugestionáveis. Porque ser sugestionável, TAMBÉM tem limites.

      Em relação a toda esta abóbora, e abóbrinhas que só causaram confusões banhadas em fome e sangue eu tenho 2 posters que considero bem legais : um do Michel Tournier traduzido pelo Fuchs :”La Pureté et l’Innocence” e o bem deleuziano Dr. Jekyll and Mr. Hyde que fala bastante sobre INCONSCIENTE. > bem humorados e cheinhos de “informação”.

      Eu recomendo pras pessoas que tem este papo esdrúxulo que reúnam tudo o que tem, doem para quem necessita e façam a coisa bem feita. Misturem-se ao todo, a Deus, à Deusa, superem a vida, e tornem-se na raça mesmo, imateriais, abstratos, como voce diz, desintegrados.

      Oh …. ! – Fabio > eu também !

      Não é verdade > eu pelo mesmo “canso” de ouvir … > que estes samadis são “inenarráveis ?” > que só a experienciação pode…. láláláetalz….. [ hahahahahaha : ______________] – matar o Ego … é bem mais fácil que arregaçar as mangas ……

      Ó: , my friend, como disse Rogers:

      Rogers (1983):

      Quer falemos de uma flor ou de um carvalho, de uma minhoca ou de um belo pássaro, de uma maçã ou de uma pessoa, creio que estaremos certos ao reconhecermos que A VIDA É UM PROCESSO ATIVO , E NÃO PASSIVO.

      Pouco importa que o estímulo venha de dentro ou de fora, pouco importa que o ambiente seja favorável ou desfavorável.

      Em qualquer uma dessas condições, os comportamentos de um organismo estarão voltados para a sua manutenção, seu crescimento e sua reprodução.

      Essa é a própria natureza do processo a que chamamos Vida. (p. 40)

      Bjs > adorei seu comment.

      Fy

      Comment by Fy — 08/05/2010 @ 2:58 AM

  5. Fy, quando te leio, eu percebo, e aliás não é nada difícel,todas as tendências pessoais que te resultam, que fornecem o ritmo onde dançam suas idéias, suas atitudes. Parece que eu estou olhando você caminhar.

    Existe uma peculiaridade muito interessante, que não me escapa, como bom observador; e eu a percebo nos seus movimentos; seja correndo aqui na praia, jogando volei,mergulhando, rindo,chorando, trabalhando,discutindo em trilinguagem,misturando numeros com solidariedade,responsabilidades com poesia; atitudes inesperadas e certeiras num dos mercados mais competitivos que eu conheço. Eu diria, desconcertantes e tão súbitas quanto a indiscutível resposta do sorriso. Você dança sem perceber. Inexplicavelmente, o que aliás não perturba seus movimentos, numa harmoniosa mandorla elíptica onde as duas metades da elipse se ligam nos pontos focais, você dança sem perceber.

    Voces dançam.
    O que eu assisto nas areias, no por do sol entrecruzado por pranchas voadoras se misturando ao movimento do mar e dos ventos, eu assisto no desempenho profissional, humano e relacional de cada um.

    É uma peculiariedade que escapa aos olhos ou à compreenção estéril de mentes encarceradas, Fy.

    Eu sinto que nunca houve outra realidade, em você e em vocês, que não fôsse esta total mescla de Ser e Vida que transparece em toda a sua manifestação, inclusive no que voce trouxe neste espaço, que, longe de te conter, te transborda ou transborda de você.
    Não consigo, às vezes distinguir, ao observar vocês, em momentos diversos, o que é a Vida e o que são Vocês.

    Momentos que devo a esta proximidade que considero poética, e a mim tão preciosa quanto constantemente rejuvenescedora . E poesia, menina, é a arte que enleva, a música que maestra as metafóricas luzes da tal “ILUMINAÇÃO”.

    Como um eterno amante da Poesia, talvez esteja enfatizando a Beleza. A beleza dos seus 20 anos, dos 20 de todos voces.
    Mas, é sómente uma impressão que eu possa estar causando.

    Não, não, esta “observação” a que me refiro, me leva ao reconhecimento de uma beleza mais poderosa, mais cintilante em sua explosão e continuidades.
    Uma Beleza que não nasceu para se ajoelhar. Que não inspira e nem admite prostração e sim a exaltação simples e imensa de quem se mescla ao tudo e ao todo na anterioridade da possível dúvida.

    Yeats , pra condensar meus devaneios de velho que pode dizer o que quiser:

    O Chestnut tree, great-rooted blossomer,
    Are You the leaf, the blossom or the bole ?
    O body sawyed to music, O brightening glance
    How can we Know the dancer from the dance ?

    Ó catanheiro, florescedor de grandes raízes
    És a folha, a flor ou o tronco ?
    Ó corpo que oscila com a musica, ó olhar iluminador,
    Como havemos de distinguir o Dançarino da Dança?
    Yeats

    Certas almas se deleitam com as luzes, outras se contraem em esgares sinistros e patéticos.
    E outras…simplesmente não aguentam a cintilância. Escondem-se.

    Prossiga. Prossigam.

    Beijo, querida,
    Renato

    pois com embasamento , … acaba a diversão! ………………………………………………………………….

    e a “secura” flácida das repetições calcinadas pelo eco vazio das vozes do “gado”. Repetição grupal e vazia, mugido ôco que impede a práxis.

    Comment by Renato — 07/05/2010 @ 3:53 AM

    • Por meio da arte, os homens respiram.

      Por meio dos artistas, os homens podem exercitar sua loucura, tomar fôlego, roubar o fogo, esquecer o logro…

      Renato, salve a poesia. Texto extraordinário.

      “We are instruments that plays ourselves”. (Dedicatória à Piva no livro Jaguar Skies.)

      Belíssimo close em incontáveis ds.

      Fy: maestria.

      “(…) Não esquecer que a estrutura do átomo não é vista, mas sabe-se dela. Sei de muita coisa que não vi”.
      Clarice Lispector

      passeiporaqui

      Comment by passeiporaqui — 07/05/2010 @ 3:47 PM

    • Renato!

      O Captain my Captain!

      É SÓ O QUE ME OCORREU! daqui a pouco eu me recupero… e escrevo mais.

      adoro Você !

      Bj no teu coração !

      Fy

      Comment by Fy — 08/05/2010 @ 4:21 AM

  6. Mandou bem Renatão!
    Volto aê pra comentar esta belezura e o post dos aple-twins.

    Fy, o rebanho, o gado, como disse o Renato, é uma fábrica de deuses. Sem se sentirem comandados, “possuídos” por qualquer autoridade externa, entram em crise de abstinência.Quando você chama na realidade: Ô seu ‘Alguém”. Eles te olham espantados, porque não tem noção do que voce está falando. São cascas vazias, como fala o véio Jung, precisam ser preenchidas por qualquer fodinha que apareça. Meia boca, meia foda, qualquer coisa que roube a sensação da responsa que não queiram sentir.
    Eu discordo aê do camarada Lázaro só num detalhe. A sensação que eu tenho, quando leio estas coroas por exemplo, não é a de que elas sofrem de perda cognitiva ao simularem samadis ou iluminações, ou qualquer outra crise de climatério mal-conduzido, é a de que elas estão se masturbando com algum tipo de falo divino…, não-cósmico, mas bizarramente polanskiano.
    Tão te rastreando Fy?
    O que que a inveja num faz, num é?

    Deixo aê uma versão de Nowhere Man, e um deus bastardo, a quem milhões de ovelhas sem-ego prestaram reverência num dos 69 mais crueis dos ultimos tempos:

    Aleluia! pra o poder que este cara teve.Aleluia pra o poder dos deuses que inventamos.

    Dennis darkside

    Comment by Dennis — 07/05/2010 @ 5:24 AM

  7. Meu riso o incomoda
    porque é inocente

    Minha palavra o incomoda
    porque afirma

    Minha vida o incomoda
    porque é livre .

    Francisco Fuchs

    Sublime.

    duda

    BEIJO

    Comment by duda — 07/05/2010 @ 6:24 AM

  8. Renato!

    Não consigo parar de te ler.
    Eu também,viu?
    Beijos de montão no teu coração.
    Té minha mãe tá mandando,um beijo e um abraço apertado.

    Fy (dei espaço)eu to lendo um livro muito bom.Vou deixar um prefáciozinho só pra dar vontade:

    Dispomos de um “sistema deleuziano”, cujas pontas sempre se atam, eliminando a diferença pela repetição narcísica dos próprios pressupostos e pela defesa intransigente dos mesmos conceitos?

    Ou, pelo contrário, contamos com um “dispositivo deleuziano”, que consiste num modo de olhar e de propor perguntas; portanto, aberto à diferença imposta pela resistência de novos objetos?

    Os ensaios reunidos neste volume apostam na última opção.

    Desse modo, oferecem perspectivas diversas sobre variados temas e objetos de estudo, preservando a complexidade do pensamento numa rede interdisciplinar que torna este livro uma referência importante para a Filosofia, a Teoria da Literatura, a Estética, entre outros saberes.

    Por fim, destaca-se a publicação de ensaio inédito de Cláudio Ulpiano, um dos primeiros intérpetes da obra de Gilles Deleuze no Brasil.

    Seu ensaio, rigoroso e criativo, presta a verdadeira homenagem que um pensador merece: “continuar pensando” a partir de seu estímulo.

    Precisamente o que os leitores do “Gilles Deleuze: sentidos e expressões” poderão fazer durante a leitura dos ensaios aqui reunidos.

    João Cezar de Castro Rocha

    Não é inspirador ?

    Gilles Deleuze – Sentidos e Expressões

    Já pensou… se matarmos o ego, e nunca mais conseguirmos estas conexões deleuzianas ?

    Ououou // !! nunca mais mais nos auto-erotizarmos? kuakuakuakuakua

    Oh Vida sem tesão!

    Inda mais eu que morro de tesão pela minha imaginação, entre outras coisinhas julianíssimas.
    Finar… vivo dela, minha profissão consiste numa transa sem fim com a minha criatividade. Um tesão só.

    Bjinhos e Bjões

    Ju [compra que é bom mesmo)

    Comment by Juliana — 07/05/2010 @ 7:07 AM

    • minha profissão consiste numa transa sem fim com a minha criatividade. Um tesão só.

      minha profissão, meu dia, minha noite,minha alegria, minha dor, meu amor, xiiiii > Minha Vida.

      Um tesão só.

      Bjs

      Fy

      – não lí não > vou ler.

      Comment by Fy — 08/05/2010 @ 4:29 AM

  9. Fy e amigos,Boa Tarde a todos

    Hoje vim como médico,e chato.Mas talvez seja mais um ponto de vista,como voce mesma diz.
    Eu tenho visto muito psicologismo,teorias religiosas então… saltam como pipocas em panela quente.Como observador cético e calado chego a me divertir diante de discursos que mais parecem kilometros de sandice cuja metade ou mais eu teria imensa vergonha de proferir.Mas as pessoas não tem.E nisto você está certa.O mais divertido ou o mais deprimente é a expressão tola, aparvalhada, com que pessoas vazias digerem estes vômitos de besteirol intelectualóide.
    Mas vamos ao ego e à funções do ego.Vou colocar primeiro, parágrafos curtos mas interessantes, sobre o que e pra onde se direciona a medicina psicosomática:

    A palavra psicossomática foi criada em sentido de união, até hoje o médico e o estudante, em geral, continuam, colocando o físico em um extremo e psíquismo no outro, como representações separadas e isoladas, tal qual o dualismo cartesiano.

    Já em trabalhos anteriores procuramos demonstrar que se nos aprofundarmos nas pesquisas psicanalíticas e bioquímicas não encontraremos separação.

    Hoje, consideramos psicossomáticas todas as doenças, isto é, admitimos que em infecções exista simultaneamente fator psíquico não desprezível; até admitimos, também, que neurose e psicoses tenham fatores somáticos principalmente imunitários, hormonais e enzimáticos. Sob esta visão, em um paciente neurótico não é raro encontrarmos a personalidade psicótica.

    A percepção interna, interssuscepção, desta unidade substancial, unidade que é bem posta em evidência em situações de “stress”, transparece no “simbolismo ou linguagem dos órgãos”,cuja complexidade por vezes é tanta que lembra a das comunicações psicóticas.

    Minha tentativa é a de relacionar dois fatores importantes: a psicossomática não funciona sómente no relacionado à psique afetando o corpo humano, mas o inverso é tão significativo quanto.

    Com estes dois próximos parágrafos, uma breve explicação sobre duas regiôes, que uma vez danificadas, exterminam toda e qualquer tentativa de expressão. Estão localizadas no que chamamos de diencéfalo:

    O DIENCÉFALO (tálamo e hipotálamo)

    Todas as mensagens sensoriais, com exceção das provenientes dos receptores do olfato, passam pelo tálamo antes de atingir o córtex cerebral.
    Esta é uma região de substância cinzenta localizada entre o tronco encefálico e o cérebro.
    O tálamo atua como estação retransmissora de impulsos nervosos para o córtex cerebral.
    Ele é responsável pela condução dos impulsos às regiões apropriadas do cérebro onde eles devem ser processados.
    O tálamo também está relacionado com alterações no comportamento emocional; que decorre, não só da própria atividade, mas também de conexões com outras estruturas do sistema límbico (que regula as emoções).

    O hipotálamo, também constituído por substância cinzenta, é o principal centro integrador das atividades dos órgãos viscerais, sendo um dos principais responsáveis pela homeostase corporal.
    Ele faz ligação entre o sistema nervoso e o sistema endócrino, atuando na ativação de diversas glândulas endócrinas.
    É o hipotálamo que controla a temperatura corporal, regula o apetite e o balanço de água no corpo, o sono e está envolvido na emoção e no comportamento sexual.
    Tem amplas conexões com as demais áreas do prosencéfalo e com o mesencéfalo. Aceita-se que o hipotálamo desempenha, ainda, um papel nas emoções.
    Especificamente, as partes laterais parecem envolvidas com o prazer e a raiva, enquanto que a porção mediana parece mais ligada à aversão, ao desprazer e à tendência ao riso (gargalhada) incontrolável. De um modo geral, contudo, a participação do hipotálamo é menor na gênese (“criação”) do que na expressão (manifestações sintomáticas) dos estados emocionais.

    E por fim,um dado relevante e definitivamente determinante na análise do comportamento humano,independente de fatores psicologicamente influentes.Resumindo e “re intellecta, in verbis simusfaciles (Uma vez compreendida a coisa,sejamos simples nas palavras): sem que a maquininha chamada cérebro esteja funcionando adequadamente,não há nem ego,nem consciente,nem espiritualidade,etc…possível.

    O substrato celular

    O sistema nervoso realiza as funções de comunicação do organismo. Está envolvido na recepção, processamento, armazenamento, e transmissão de informação dentro do organismo e nas trocas da mesma com o exterior. É um sistema dinâmico na medida em que a sua actividade modifica o desempenho, as relações internas, e a capacidade para mediar estímulos do exterior.
    Estimativas recentes sobre o número de células nervosas (neurónios) variam entre os 10 biliões e 16,5 biliões até um máximo de aproximadamente 1 trilião.

    Quando bem nutridos e adequadamente estimulados, diminutos órgãos de transmissão das extremidades neuronais proliferam abundantemente, provendo o sistema nervoso humano de uma astronómica multiplicidade de pontos de interacção entre células nervosas, as sinapses. Estima-se que dentro do cérebro um único neurónio pode ter contacto sináptico directo com milhares de outros neurónios.
    Enquanto o cérebro se desenvolve e mais tarde, o número total de neurónios diminui – algumas perdas ocorrem durante o desenvolvimento quando se tornam desnecessários para os sistemas que se desenvolvem; outros com o passar do tempo. Induzida pela experiência, a activação neuronal estimula o crescimento e elaboração das células nervosas com correspondente proliferação sináptica. Esta elaboração de neurónios e o aumento do potencial sináptico constituem a base neuronal da aprendizagem, conhecimento, habilidade, e perícia. Alterações dos padrões de excitação temporal e espacial do circuito cerebral pode aumentar consideravelmente este potencial dinâmico devido a que estimulação aplicada a um caminho neuronal intensifica a sensibilidade desse caminho e aumenta a eficácia com que a excitação neuronal pode ser transmitida através das suas sinapses. Quando isto se torna um fenómeno persistente é designado por potenciação a longo prazo.
    Em conjunto estes processos de desenvolvimento estrutural e os padrões de interacção providenciam o potencial neuronal para a variabilidade e flexibilidade do comportamento humano.

    As células nervosas não se tocam nas sinapses. O contacto entre elas é feito primariamente por meio de neurotransmissores, agentes químicos gerados e secretados por células nervosas estimuladas. Estas substâncias podem fazer a ponte entre os espaços que ficam entre as células nervosas para activar os neurónios receptores. A descoberta, até agora, de mais de 100 neurotransmisores dá-nos uma ideia da possível diversidade de activação selectiva entre neurónios, tendo em conta que cada neurotransmissor só se pode ligar e assim activar, aos receptores que tenham a mesma conformação molecular, e que um único neurónio pode produzir e libertar mais do que um destes mensageiros químicos.

    Células do sistema nervoso central (SNC) humano adulto diferem de todas as outras células do corpo na medida em que não se dividem, multiplicam ou em qualquer sentido se repõem. Quando ocorre a morte de uma célula nervosa, o espaço deixado pode ser preenchido por tecidos de ligação ou então os neurónios circundantes podem preencher o espaço deixado. Novas células nervosas não podem substituir as células mortas antigas.

    Quando uma célula nervosa está danificada ou doente, pode parar de funcionar, e os circuitos para os quais contribui serão então interrompidos. Alguns circuitos poderão eventualmente reactivar quando as células danificadas recomeçarem o funcionamento ou quando padrões alternativos envolvendo células diferentes assumirem essas funções.

    Quando um circuito perde um número consideravelmente grande de neurónios, o circuito quebrado pode não ser reactivado nem reposto.

    Alterações comportamentais podem indicar o local e a magnitude do dano.

    Abraços
    Vítor Simmonsen

    Comment by Vítor — 07/05/2010 @ 11:40 AM

    • Super legal Vítor !

      Mens Sana in Corpore Sano !

      Mens sana in corpore sano (Uma mente sã num corpo saudável) é uma famosa citação latina, freqüentemente traduzida como “Uma mente sã num corpo sadio”. Juvenal : Sátira X

      A conotação satírica da frase> que seria bom ter também UMA MENTE SÃ NUM CORPO SADIO , é uma interpretação mais recente do que Juvenal pode ter tido a intenção de expressar.

      Alguns comentaristas tradicionais acreditam que a intenção de Juvenal foi lembrar os seus companheiros Romanos : cidadãos que faziam orações tolas > que tudo o que deve ser rezado é para que se tenha saúde física e mental.

      Ao longo do tempo e separada de seu contexto, a frase passou a ter uma gama de significados. Pode ser interpretado como significando que : apenas um corpo saudável pode produzir ou sustentar uma mente saudável.

      Seu uso mais geral é a de expressar o conceito de um equilíbrio saudável no modo de vida.

      Bjs

      Fy

      Comment by Fy — 08/05/2010 @ 5:39 AM

  10. Consciente Ego Inconsciente ?

    Dionísio Ares Afrodite

    aos deuses mais cruéis : juventude eterna!

    eles nos dão para beber, na mesma taça

    o vinho o sangue e o esperma.”
    Leminski

    Bjo
    Marianne

    Comment by Marianne — 07/05/2010 @ 3:19 PM

    • Tão cedo passa tudo quanto passa!

      Morre tão jovem ante os deuses quanto

      Morre! Tudo é tão pouco!

      Nada se sabe, tudo se imagina.

      Circunda-te de rosas, ama, bebe

      E cala. O mais é nada.

      Ricardo Reis [ Pessoa ]

      Bjs

      Fy

      Comment by Fy — 08/05/2010 @ 5:44 AM

  11. Não sei quem falou sobre isto, ou todo mundo está falando sobre isto. Mas é inacreditável a capacidade de proliferação deste vírus:

    Analfabeto funcional é a denominação dada à pessoa que, mesmo com a capacidade de decodificar minimamente as letras, geralmente frases, sentenças e textos curtos; e os números, não desenvolve a habilidade de interpretação de textos e de fazer as operações matemáticas. Também é definido como analfabeto funcional o individuo maior de quinze anos e que possui escolaridade inferior a quatro anos, embora essa definição não seja muito precisa, já que existem analfabetos funcionais com nível superior de escolaridade

    problema serio demais, infelizmente estamos formando uma sociedade retrógrada, em que pobres tomam atitudes medievais, estamos formando uma teocracia que age em paralelo com um pais mais avançado, fico triste, pois se não houvesse essa supertição andaríamos melhor

    O analfabetismo funcional é um mal que domina 68% da população brasileira sem contar os totalmente analfabetos o que daria um total de 75%. Quando se fala de religião então, junta-se esse analfabetismo com o fanatismo aí esses pobres não conseguem ter discernimento para responder nada. Qualquer questionamento sobre Deus os deixa loucos. Ora, essa inteligência humana de discutir sobre os mais diversos assuntos é criação de quem? O primeiro passo para o conhecimento é a dúvida, se temos uma dúvida não quer dizer que estamos afrontando a religião. Eu não vou nem dizer mais nada pra não me envolver com esses fanáticos.

    Segundo Moreira, no Brasil, existe uma queda na produtividade provocada pela incidência de analfabetismo funcional, refletindo uma perda aproximada de US$ 6 bilhões anuais.

    xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

    Quanto a esta “exploração” do inconsciente via tomografia religiosa, nunca me atraiu. Que saudade dos tempos em que ele apenas era o responsável por inspirações súbitas, daquelas que metaforicamente agente diz brotarem do coração.

    brigadu gente boa,
    foi bastante esclarecedor.
    Wilson (melhorando de astral)

    Comment by Wilson — 08/05/2010 @ 1:31 AM

    • Wilson (melhorando de astral)

      que bom !!!!!!

      seja bem vindo ! com o astral que for!

      Bjs

      Fy

      Comment by Fy — 08/05/2010 @ 5:46 AM

  12. Ufa!

    Acho que não esqueci ninguém.

    Bjs
    pra todo mundo, mais uma viagem incrível!

    Fy

    Comment by Fy — 08/05/2010 @ 5:47 AM

  13. Renato,

    O Captain my Captain!

    Abraço

    TocaYo.

    Comment by TocaYo — 08/05/2010 @ 6:10 AM

  14. Renato,amigo,

    O Captain my Captain!

    sem mais palavras,

    Gabriel

    Comment by Gabriel — 08/05/2010 @ 6:17 AM

  15. Querido Renato,

    Que pobre o coração que não sabe amar
    e não conhece o delírio da paixão.
    Se não amas, que sol pode te aquecer,
    ou que lua te consolar?

    Khayyam, enquanto erguias a tenda da Sabedoria,
    caíste na fogueira da dor; agora és cinzas.
    O Anjo Azrail cortou as cordas da tua tenda
    e a Morte vendeu-a por uma ninharia.

    Tenho igual desprezo por libertinos ou devotos.
    Quem irá dizer se terão o Céu ou o Inferno?
    Conheces alguém que visitou esses lugares?
    E ainda queres encher o mar com pedras?

    O bem e o mal se entrelaçam no mundo.
    Não agradeças ao Céu
    pela sorte que te coube, nem o acuses:
    Ele é indiferente.

    Além da Terra, pelo Infinito,
    procurei, em vão, o Céu e o Inferno.
    Depois uma voz me disse:
    Céu e Inferno estão em ti.

    Alguns Rubaiyat de Omar Khayyam, My Captain.

    com carinho e admiração verdadeiros,

    Biablue

    Comment by Biablue — 08/05/2010 @ 6:23 AM


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: