windmills by fy

13/12/2010

apples

Filed under: Uncategorized — Fy @ 11:15 AM

 

– um pouquinho de domingo : 

 

 

 . . . the  silver apples of the moon /

the golden  apples of the sun .

 

 

 

 

 

 

Graças a [os]  Deus[es]  nasci preguiçosa para algumas coisas .

Pode parecer ignorância ou até mesmo burrice , mas ser supra-humana não é para mim .

Um intelecto inflado não cabe na minha cabeça , dói só de pensar . Ficar buscando provas , argumentos,

elementos práticos , tudo para fazer o coleguinha ao lado (e eu mesma) entender que me basta a lua cheia e uma boa noite de sono ?

Preguiça de argumentar .

Preguiça de buscar mil teorias que comprovem o óbvio , o que a simplicidade não esconde sob um mundo de palavras inúteis .

 

 

Os finais de tarde são encarregados de fazer os homens entenderem que o mundo é todo sagrado .

Precisamos de provas ?

Meditar horas e horas , agarrar a mente , controlá-la , conduzi-la  . . .  usá-la como banquinho para apoiar o pé e saltar , transcendendo o . . . transcendente .

Encontrar no impossível o infinito e a beatitude máxima , . . . 

lá onde tudo é perfeito e é claro , nada existe a não ser a perfeição máxima , chata e tediosa da pura e clara luz .

. . .  Ai que preguiça desses yogas [ e cia ] .

A perfeição já é aqui e agora .

É só se arriscar a desencanar e dançar desavergonhadamente pela sala .

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Controlar o corpo , ir além dos instintos , dominar a natureza inferior do ser humano  . . . hein  ?

Parece tão difícil ,   insensato   e   impossível   que   dá   preguiça  , muita preguiça  .

E tudo isso para conhecer Deus ?

Para saber quem eu sou ?

Não basta estar viva para saber que a vida é divina ?

 

 

 

Ou será que estamos tão , tão , tão  insanos que precisamos de um labirinto que dê a volta no universo para provar (é que precisamos de provas o tempo todo)

que estar viva não é coisa boba e corriqueira  ?

Ou talvez a complexidade máxima seja :  a amante sedutora dos que nunca transbordaram de amor por qualquer criatura .

Dos que não ganharam abraços alegres ou lambidas de cachorros felizes .

Ou então ,  [ ah . . . ] coisa de quem nunca dançou pra valer , com suor pingando da ponta do nariz .

 

 

Deitada na rede , balançando , proclamo minha liberdade .

 

 

Carrego aqueles textos difíceis comigo e também o professor mais querido ,

que me ajudou a ver a simplicidade e obviedade das palavras mais poéticas , de uma época bastante remota , mas muito sábia .

Dispenso essa escalada para o céu ,

dispenso o yoga [ e cia ]  nesses termos para poder respirar yoga no mais íntimo significado da palavra . União .

Eu sou a natureza e a natureza sou eu .

Eu sou o outro e o outro sou eu .

Eu sou o mundo todo e o mundo todo sou eu .

E essa preguiça danada , que me deixa mole na rede , olhando para a lua , contando as estrelas ,

 pensando livremente , sentindo lentamente a beleza da vida .

 

 

 

 

 

 

Essa preguiça que me poupa da aflição de ser mais do que um ser .

 

 

Essa preguiça boa, que balança a rede devagarinho e que entrando no tempo ,

vê o dia amanhecer  … :   

 perfeito  .

 

 

 

 

da   Manu .  

 

 

 

 

 

And walk among long dappled grass ,

And pluck till time and times are done

The silver apples of the moon ,

The golden apples of the sun .

Yeats

 

 

 

 

 

19 Comments »

  1. Olá Fy, quanto tempo! A-mei este post. E faço das tuas as minhas palavras. Beijão pra ti! Miriam Waltrick

    Comment by Miriam Waltrick — 13/12/2010 @ 2:50 PM

  2. aha que eu também amo esta preguiça.

    volto depois.

    beijos

    TocaYo

    Comment by TocaYo — 14/12/2010 @ 5:32 AM

  3. Oi Miriam!

    Fy, the same.

    Esta Manu……….. é genial……….

    bjinhos

    Ju

    2ª … é dose.

    Comment by Juliana — 14/12/2010 @ 6:09 AM

    • E as férias ?

      Qdo?
      bj
      Fy

      Comment by Fy — 14/12/2010 @ 8:12 AM

    • É verdade Jú… 2ª é dose pra crocodilo hahahha Não tem quem aguente. Ainda bem que… acabou! Beijão a todos! Miriam Waltrick

      Comment by Miriam Waltrick — 14/12/2010 @ 5:41 PM

  4. Bom Dia moçada,

    Míriam, seu último post está pra lá de sensacional.

    Êta mulherada maravilhosa. É magnífico sentir esta força e é incrível como ela tem a própria cor.

    Me parece uma rajada de fogos, espetacular e envolvente, aveludada, tão certeira quanto… feminina, que lucida e fatal derruba qualquer oponente. Faíscas de um fogo elegante e inquestionável.

    À voces, lindas guerreiras , uma homenagem, que já rolou por aqui, mas que eu gosto muito, e não vejo problema em repetir.

    //
    //
    //
    //

    E esta frase, que é uma das mais marcantes deste blog:

    Ou talvez a complexidade máxima seja : a amante sedutora dos que nunca transbordaram de amor por qualquer criatura .

    Dos que não ganharam abraços alegres ou lambidas de cachorros felizes .

    /

    Que grande verdade.
    beijo a todos,
    tio Gus

    Comment by Gustavo — 15/12/2010 @ 12:08 AM

    • Aê véio.

      Mulheres… são as maçãs prateadas da lua, são as maçãs douradas do sol.

      beijos pra voces meninas.

      TocaYo

      Comment by TocaYo — 15/12/2010 @ 12:51 AM

    • Oi Gus, Oi Fy, Oi todos! E obrigado pelo elogio. Mas não tem como ficar calada diante de tantos discursos nonsense que venho lendo ultimamente, principalmente em publicações de grande circulação nacional que considero sérias. Tira o meu canudo, mas não tira a minha dignidade. Beijão a todos. Miriam.

      Comment by Miriam Waltrick — 15/12/2010 @ 3:09 AM

      • dignidade.

        Oh palavra gostosa de ouvir.

        bj
        Fy

        Comment by Fy — 16/12/2010 @ 12:21 AM

  5. Oi todos,

    Eu preciso comentar lá no On the road! Míriam , te leio sempre. Mas é tão corrido… Cadê o Marques,o Thomas, faz tempo que não postam. A-doro: hahahahahah.

    Tio Gus, é verdade, que frase total.

    Outro dia uma aluna me contou que a nora vive deprimida.
    Mas não é doença não.
    É falta de imaginação, mesmo. Falta de vida.
    E eu me impressionei com a maneira como ela me contou, ela disse : Minha nora vive deprimida: um luxo!
    Como não tenho tempo, vivo feliz.
    E é uma grande verdade, desde que não se esteja doente,é claro.
    Estar triste ou decepcionada, e todas as outras coisas que modificam os nossos humores, nem sempre são negativas. E isto não justifica a depressão ou a eterna neurose da insatisfação negativa.
    Eu como nasci com a dança no sangue, recomendo sempre: dançar é um remédio infalível.
    Dançar com raiva: é maravilhoso! também.Áliás, a dança é emoção.
    E as pessoas desaprenderam a emoção.
    Em minhas aulas, não raro, tenho que “desenterrá-las”, antes de ensinar o primeiro passo.
    Acreditem.
    bjinhos e bjinhos da Carol
    Emocionem-se.

    Comment by Carol — 15/12/2010 @ 1:09 AM

    • Olá Carol, também amo dançar pra liberar tudo de ruim que tá circulando na corrente sanguínea: da raiva à impotência. Mas também gosto de cantar… desde que ninguém esteja ouvindo! hehe Deprê? Na maioria dos casos é pura falta do que fazer ou, se faz, não faz bem feito. Abraços! Miriam

      Comment by Miriam Waltrick — 15/12/2010 @ 6:09 PM

      • Olá Carol, também amo dançar pra liberar tudo de ruim que tá circulando na corrente sanguínea: da raiva à impotência.

        Ah – eu acho q já dancei de tudo em mim…. ou tudo em mim já dançou em mim . ahahahahahah

        e cantar , sabe q esta é uma baita frustração ? eu sou um desastre. Mas claro q eu canto . Adoro qdo tem muita gente cantando, ninguem me percebe, e mesmo q seja baixinho, canto junto .

        Ah, lembrei: vcs já perceberam q existem pessoas q incorporam a depressão ?
        Nada q se atinja com alegria, garra , vontade [ salve Nietzsche ], desejo, paixão, é considerado bom … , evolutivo….

        Elas adoram os abismos… lá em baixo, onde o Judas …. , é q elas se encontram … – no vazio, no ôco do mundo >

        mais : a deprê parece, pra estas pessoas , um tipo de status… confere um tipo de superioridade….

        blaghhhh : a mim cansa. enjoa.

        bjs
        Fy

        Comment by Fy — 16/12/2010 @ 12:45 AM

  6. Lindo Fy!

    pra voces:

    dance the song of sorrow
    when your spirit weeps,
    feel the lilt of sadness
    as through you it seeps.
    dance until you feel
    the air beneath your feet,
    ‘til the walls withdraw
    and the tears retreat.
    escape into the senses
    of an enchanting trance,
    forget the tears of sorrow,
    just dance and dance and dance…

    BEIJO,

    Marianne

    Comment by Marianne — 15/12/2010 @ 5:10 PM

    • just dance

      dance

      and dance .

      e o black swan … promete.

      bj – Marianne

      sempre bom te ler.

      Fy

      Comment by Fy — 16/12/2010 @ 12:47 AM

  7. Boa Noite Windmills, Fy,

    Também fiquei apaixonada pelo post.

    Fora com toda esta hipocrisia, tão bom ser apenas o que agente é.
    Só assim, com simplicidade podemos melhorar e melhorar.
    às vezes leio certas coisas que me fazem pensar não em como o homem é complicado, mas sim como ele é pretencioso.
    Obrigado a voces, voces fazem bem.

    beijo
    Sofia Mastrada

    Comment by Sofia — 15/12/2010 @ 5:15 PM

    • É.

      Simplicidade.

      Outra palavra gostosa de ouvir.

      pra vc, Sofia :

      bj
      Fy

      Comment by Fy — 16/12/2010 @ 12:59 AM

  8. até comprei uma rêde.

    legal o blog.

    Leandro

    Comment by Anônimo — 19/12/2010 @ 4:27 AM


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Blog at WordPress.com.

%d bloggers like this: